Ana Markl explica o 25 de abril às crianças


Depois do livro “Onde Moram os Teus Macaquinhos?”, Ana Markl prossegue o objetivo de abordar temas da cultura e da história portuguesas. Desta vez, o Manu (também protagonista do primeiro livro) vai tentar perceber porque é que a avó está sempre a dizer «não foi para isto que se fez o 25 de Abril!».  

O texto humorístico de Ana Markl casa novamente com as fantásticas ilustrações de Christina Casnellie, num álbum original que vai reunir crianças, pais e avós à volta do imaginário da Revolução dos Cravos.  

As autoras revisitam os factos e o imaginário do 25 de Abril para explicar aos mais novos o que aconteceu, afinal, nessa já longínqua primavera.

Quando faltam apenas dois anos para o 50º aniversário da revolução (e quando igualamos o tempo vivido em ditadura e em democracia), este álbum ilustrado recria a cronologia e a mitologia da revolução que acabou com a mais longa ditadura da Europa ocidental e instituiu a democracia.

Ana Markl partilha a sua vivência ligada a esta data: “O 25 de Abril foi vivido intensamente pela minha família, por isso os meus pais – ótimos contadores de histórias – contavam recorrentemente e de forma muito vívida as suas memórias desse dia: onde estavam, como tudo aconteceu, que música se ouvia… E contavam também o que era o país antes do 25 de Abril. Para mim, a ditadura era um verdadeiro papão e os capitães de Abril eram estrelas de rock”.

Sinopse

O pai do Manu pede-lhe SEMPRE que coma os brócolos; o pai do Manu irrita-se porque ele vai jogar futebol para o jardim e acerta SEMPRE no canteiro dos cravos; o pai do Manu manda-o brincar no quarto. O Manu está tão farto ordens, de brócolos e de cravos que até tem um pesadelo em que os cravos entram, todos chateados, pelo quarto adentro! Afinal, não foi para isto que se fez o 25 de Abril!

Título: “Avó, onde é que estavas no 25 de Abril?”

Texto: Ana Markl (texto) e Christina Casnellie (ilustração)

Editora: Lilliput

Ano: 2022

Mais histórias
Entrevista a Nuno Caravela – autor dos livros do “Bando das Cavernas”